DCSIMG
Mercer
Relatório What’s Working™ da Mercer

Para mais informações Mercer Portugal
Tel: +351 21 311 3700

Relatório What’s Working™ da Mercer

Revela um decréscimo nos níveis de lealdade dos colaboradores face às empresas em que trabalham


Portugal , Lisboa


 

  

E destaca o papel de factores não financeiros no aumento da motivação dos colaboradores


A lealdade dos colaboradores em relação às empresas em que trabalham está a diminuir no mundo inteiro, revela a análise global do Estudo da Mercer, What’s Working™. A pesquisa, realizada junto de cerca de 30 000 colaboradores em 17 países diferentes, entre o quarto trimestre de 2010 e o segundo trimestre de 2011, demonstra que a percentagem de colaboradores que está hoje a ponderar seriamente sair da sua empresa aumentou desde o último estudo realizado (2006).

 

Na Europa, a Alemanha foi o país que registou o menor aumento face ao estudo anterior de somente 2 pontos percentuais, de 31% para 33% em 2011. De seguida encontra-se a variação de Espanha e do Reino unido com um aumento de 9 pontos percentuais de 21% para 30% e 28% para 37% respectivamente. França apresentou um aumento de 11% face ao anterior, de 19% para 30% e com o maior aumento encontra-se a Irlanda e a Holanda com 13% face ao  estudo anterior, com 22% para 35% e 15% para 28% respectivamente. Na maior parte dos países da Europa a variação percentual foi superior a 10% face ao estudo anterior e com excepção da Holanda todos os países apresentam em 2011 percentagem acima dos 30%.

  

As relações de trabalho estão a mudar no mundo inteiro. Os colaboradores estão a repensar o retorno que recebem face ao que estão a dar às empresas”, afirma Diogo Alarcao, Partner da Mercer Portugal. “A nossa pesquisa revela que, apesar da subsistente incerteza económica, actualmente mais colaboradores considerariam deixar a sua empresa em busca de uma nova oportunidade”, sublinha, Isabel Martins, Senior Associate da Mercer Portugal.

  

O estudo da Mercer também revela uma alteração da visão dos colaboradores quanto a outros factores que afectam o seu compromisso com as empresas. A nível mundial, a visão sobre questões de remuneração e desempenho melhorou de modo geral. Na Europa os países que registaram uma variação mais significativa relativamente ao estudo anterior foram a Espanha e a Alemanha com aumentos percentuais de 19 e 18 respectivamente. Por outro lado, a percepção sobre os benefícios dos colaboradores piorou, em geral. França, Irlanda, Alemanha e Holanda apresentaram variações negativas, sendo que em França e Irlanda as variações foram de menos 29 e 24 pontos percentuais respectivamente. Em contra ciclo, está a Espanha que aumentou a percentagem sobre os benefícios de 20% para 29% em 2011, evidenciando uma variação positiva de 19 pontos percentuais.

  

As opiniões divergem de país para país em questões sobre as oportunidades na carreira e a liderança, mas no geral as variações não são significativas.

  

O que motiva os colaboradores?

A análise global do Estudo da Mercer, What’s Working™, revela também que os factores não financeiros desempenham um papel fundamental na motivação e compromisso dos colaboradores. Colaboradores no mundo inteiro afirmam que ser tratado com respeito é o factor mais importante, seguido do equilíbrio entre o trabalho/vida pessoal, o tipo de trabalho desenvolvido, a qualidade das equipas de trabalho e a qualidade da liderança.

  

Entre os factores financeiros, a remuneração base está no topo da classificação a nível global, em sexto entre treze factores distintos. É considerada o factor principal em apenas um país (Hong Kong) e está entre os três factores mais determinantes em quatro outros países – China, Índia, Itália e Singapura.

  

Apesar de outros factores financeiros, como os benefícios e a compensação variável, poderem ser importantes para a atracção, retenção e reconhecimento de colaboradores – o estudo da Mercer demonstra que são considerados factores menos importantes para os colaboradores no que diz respeito à sua motivação diária e compromisso no trabalho.

  

O compromisso do colaborador reflecte a sua experiência de trabalho que, em grande parte, diz respeito à forma como é tratado, ao tipo de trabalho que realiza, a empatia com os colegas e chefias, e ao ambiente de trabalho em geral”, afirma Isabel Martins “Sem dúvida, factores financeiros como remuneração e benefícios constituem uma parte fundamental do contrato de trabalho, mas as empresas devem considerar e gerir um conjunto mais vasto de factores para alcançarem o compromisso das suas equipas.”

  

Sobretudo numa economia em dificuldades, quando os recursos financeiros são limitados, as empresas alavancam estes factores não financeiros para reforçar o compromisso e a produtividade dos seus colaboradores” afirmou Diogo Alarcão.

  

Resultados por região:

O estudo da Mercer indica que os factores mais importantes para a motivação e o compromisso variam entre Regiões e também entre países:

 

Europa – Os resultados para os sete países europeus incluídos no Estudo da Mercer (Alemanha, Espanha, França, Holanda, Irlanda, Itália e Reino Unido) demonstram uma consistência significativa. Os factores não financeiros (respeito, equilíbrio trabalho/vida pessoal, tipo de trabalho e qualidade dos colegas) são considerados mais importantes para a motivação e compromisso dos colaboradores.

  

Américas – Para além dos cinco principais factores globais não financeiros - respeito, equilíbrio trabalho/vida pessoal, tipo de trabalho, qualidade dos colegas e liderança – trabalhar num bom ambiente, obteve uma elevada classificação em termos de importância na América do Norte e do Sul. A remuneração base figura como o factor financeiro mais importante.

 

Ásia Pacífico – os resultados para esta região são menos consistentes entre países, em comparação com as Américas e a Europa. O tratamento de respeito e a qualidade da liderança são referidos pelos colaboradores como os factores mais determinantes para a sua motivação e compromisso no trabalho. A Austrália revela a variação mais ampla na influência de factores, enquanto os factores financeiros (remuneração base, incentivos e benefícios) e factores relacionados com a carreira são bastante mais determinantes na China, em comparação com os outros mercados na região e globalmente.

 

Visite www.mercer.com/insideemployeesminds para uma visão interactiva de mais resultados globais do Estudo da Mercer, What’s Working. O site interactivo oferece uma apresentação instantânea dos resultados do inquérito nos 17 países, apresenta visualizações de dados por região e permite que o visitante crie pesquisas personalizadas, até seis países, dos dados seleccionados para análise.

  

  

Sobre a Mercer:

  
A Mercer é líder global em serviços de consultoria, outsourcing e investimentos, com mais de 25.000 clientes em todo o Mundo. Com o objectivo de encontrar as melhores soluções para os desafios que se colocam, os consultores da Mercer apoiam os seus clientes no desenho e gestão de programas de saúde, reforma e outros benefícios pré e pós reforma, bem como na optimização do capital humano.

  

Com uma rede internacional de mais de 20,000 colaboradores distribuídos por mais de 40 países, a Mercer assegura a implementação de soluções globais e integradas.

Em Portugal (Lisboa e Porto) há 17 anos, a Mercer conta com uma equipa com mais de 140 profissionais, que desenvolvem soluções para os desafios específicos dos seus clientes a nível local e global.
  

 

 


 Contacto de Imprensa

Tiago Pimentel

     

 +351 21 311 3700

 E-mail