Quando não se sabe para onde queremos ir, qualquer caminho serve.

 

Em 2021 herdámos um Mundo diferente e dúvidas houvesse, mais do que nunca estamos a vivenciar a importância do capital humano na superação de desafios e adaptação à mudança, posicionando-se como a derradeira vantagem competitiva das organizações.

 

Face a tanta mudança, torna-se vital garantir que temos connosco sempre as pessoas certas no momento certo! Que recrutamos as pessoas certas e simultaneamente desenvolvemos as nossas equipas garantindo que as suas competências acompanham as necessidades de sustentabilidade e crescimento do negócio.

 

Cada vez mais conscientes do papel das pessoas nos desafios futuros, confrontamo-nos ainda com níveis muito elevados de incerteza! Vejamos os dados do estudo da Mercer Global Talent Trends (2021):

 

  • 99% das organizações relatam gaps significativos de competências na sua workforce atual.
  • 49% dos Responsáveis de RH não conseguem ainda conhecer de forma precisa as competências e motivações dos Colaboradores;
  • Apenas 9% das Organizações monitorizam as exigências de mercado e disponibilidade de competências;
  • 53% dos líderes de RH pretendem identificar novas competências necessárias para as suas operações pós COVID-19;
  • 2 em cada 5 responsáveis de RH não sabem quais as competências que possuem nas suas organizações.

 

Sabemos assim, que temos de investir nas competências certas para o presente e para o futuro, construindo um ecossistema de talento sustentável e resiliente alinhado com as exigências do negócio e mercados. E este é um grande desafio! Possivelmente o maior desafio das organizações para os próximos anos. Um desafio que não tem uma resposta única, nem uma solução “one size fits all”, mas acreditamos que terá obrigatoriamente de ter um ponto de partida comum: um assessment que permita uma visão clara, objetiva e fidedigna do status atual e a sua relação face ao status futuro que pretendemos atingir. Onde estamos? Como estamos? Qual o caminho a percorrer? 

 

Porque quando sabemos onde queremos ir, a escolha do caminho torna-se clara e a probabilidade de sucesso é exponenciada.

 

Assim, identificar as competências críticas para o negócio, fazer o assessment dessas competências numa determinada pool, desenvolvê-la e reconhecê-la são, de alguma forma, as atividades com maior probabilidade de gerar resultados transformacionais e progresso.

 

Adicionalmente, e de acordo com os dados do World Economic Forum, sabemos que quase um terço das funções no mundo inteiro provavelmente serão transformadas pela tecnologia na próxima década. Precisa-se hoje que o desenvolvimento do talento seja rápido e ágil para acompanhar o ritmo de transformação e exigência que está a ser colocado aos negócios, sendo importante ter em conta alguns aspetos:

 

1. Definir as necessidades futuras e assegurar que o upskilling e reskilling estão no topo das prioridades.

 

O reskilling destaca-se no topo das prioridades de investimento para 2021 (Global Talent Trends, 2021), traduzindo a necessidade de desenvolvimento de novas competências para fazer face aos desafios atuais e futuros. A transformação e a evolução de mindset serão apenas efetivas quando acompanhados de um processo de requalificação sustentável, escalável e eficiente.

 

2. Atender às competências interpessoais na preparação do futuro.

 

Competências como a autogestão, a colaboração, a adaptabilidade e a promoção de um growth mindset são reconhecidas como determinantes para o futuro e como meio para facilitar o movimento de aprendizagem necessário.

 

3. Skills as the new currency.

 

Torna-se crítico associar o upskilling e reskilling a trajetórias de carreiras e/ou remuneração, democratizando as oportunidades de aprendizagem e promovendo uma cultura que incentiva proactivamente o desenvolvimento para a transformação dos negócios.

 

4. Fomentar uma cultura de aprendizagem.

 

Criar oportunidades de aprendizagem contínua, que permitam aprender, desaprender e reaprender, em que o papel das lideranças é crítico enquanto coach que, de forma empática e próxima, apoia e desenvolve as suas equipas.

 

O Talento existe, e é imenso! Cabe-nos a nós o desafio, mas igualmente o privilégio, de implementar as ferramentas que permitam identificar, avaliar, preparar, desenvolver, e alinhar as nossas Pessoas para o Futuro

Sofia Bento
Sofia Bento
Senior Associate Career
Joana Fernandes
Joana Fernandes
Senior Associate Career

Fale com um consultor de Mercer