Ranking Mercer sobre Custo de Vida

Qual a melhor abordagem ao custo das missões internacionais de expatriados em tempos de incerteza? Quais são as cidades mais caras do mundo para viver? 

A 26ª edição do estudo Custo de Vida é um instrumento essencial na gestão de mobilidade internacional através do acesso a dados críticos.  – ainda mais críticos num tempo de disrupção causado pela pandemia de COVID-19.


Download do Ranking Custo de Vida

Preencha o formulário com os seus dados para fazer o download do ranking e para saber mais sobre o Custo de Vida nas 209 cidades ao redor do globo.

*Campo Obrigatório

Equilibrar a empatia com os fatores económicos

À medida que as organizações repensam as suas estratégias de gestão de talento e de mobilidade no despertar após COVID-19, continuam a procurar o equilíbrio entre empatia e os fatores económicos, de forma a assegurar uma compensação justa e apoio necessário aos seus colaboradores expatriados. O acesso a indicadores relevantes e de confiança sobre o custo e locais das missões de expatriamento, é crítico para a tomada de decisões. 


O estudo anual Custo de Vida é um dos mais reconhecidos e utilizados, contando com a análise de mais de 400 cidades. Procuramos com este estudo apoiar as multinacionais e entidades governamentais a nível global a desenhar políticas de compensação para os seus colaboradores expatriados.

 

A edição de 2020 do estudo Custo de Vida analisa e compara o custo de mais de 200 itens em 209 cidades nos cinco continentes.

 

Principais destaques do ranking das cidades

Hong Kong está mais uma vez na lista das cidades mais caras para expatriados, seguindo-se Asgabat em segundo lugar, Tóquio em terceiro e Zurique em quarto lugar. Singapura está na quinta posição do ranking, descendo dois lugares em relação ao ranking do ano passado. A cidade de Nova York sobe da nona para a sexta posição.

 

Outras cidades que aparecem na lista das 10 cidades mais caras são efetivamente Shangai (7), Berna (8), Genebra (9) e Beijing (10). As cidades menos dispendiosas para expatriados de acordo com o estudo deste ano, são Tunis (209), Windhoek (208) e Tashkent e Bishkek na 206ª posição.

 

Consulte o nosso comunicado de imprensa para saber mais sobre o ranking deste ano, e saiba os que os especialistas em mobilidade internacional dizem sobre o impacto da COVID-19 no custo de vida a nível global.



Hábitos de consumo em tempo de confinamento

O estudo Custo de Vida de 2020 revela que a pandemia alterou os hábitos de consumo nos diferentes países. Determinadas categorias de bens essenciais, tal como “Alimentação adequada”, “Artigos de limpeza” e entretenimento em casa, evidenciaram um aumento da procura. A Mercer conduziu uma analise específica sobre estes itens nas diferentes localizações abrangidas neste estudo.

 

O infográfico em baixo mostra algumas das conclusões.



Fator de atratividade por cidade

 

Com o impacto da COVID-19 é ainda mais importante os decisores estarem a par dos desafios da globalização. As cidades precisam informar, inovar e competir para atrair cidadãos que possam manter o seu nível de satisfação e contribuir com investimento — uma cidade do futuro. Qual é o grau de atração da sua cidade?

 

Para mais informações sobre o índice de atratividade da Mercer, clique em baixo:


Quais os fatores que determinam o custo de vida?



Além da avaliação de mais de 200 produtos e serviços, a 26ª edição do estudo da Mercer sobre Custo de Vida, destaca ainda outros fatores – Tal como variações do câmbio, inflação e instabilidade dos preços de alojamento – na determinação do custo dos pacotes de expatriamento. 

O índice de Custo de Vida reflete o preço de mais de 200 artigos nas seguintes categorias: