A sustentabilidade é cada vez mais uma das tendências principais para o futuro das organizações, face ao escrutínio dos consumidores, colaboradores (atuais e potenciais), acionistas e legisladores. Identificar o contributo que as Direções de Pessoas e Capital Humano devem ter na estratégia de ESG (Environment, Social e Governance) é o objetivo do estudo “People Sustainability in Organisations – a European Study”, desenvolvido pela Mercer.


Created with Sketch.
A sustentabilidade ambiental e a sustentabilidade das pessoas estão intimamente ligadas. Para promover ativamente a sustentabilidade ambiental, é necessário assegurar que as pessoas têm níveis aceitáveis de qualidade de vida. Em termos de causa e efeito, a sustentabilidade das pessoas é um pré-requisito para a sustentabilidade ambiental.

Kai Anderson, Mercer.
Created with Sketch.



Estudo europeu: contribuição dos RH para a sustentabilidade

 

O tema da sustentabilidade chegou aos RH, mas como a podem implementar? O estudo foi desenvolvido junto das áreas de RH de mais de 220 empresas da Europa Central, Ocidental e do Sul, incluindo participantes de Portugal.


O estudo deixa um conjunto de recomendações que as organizações, e os departamentos de RH em particular, devem adotar para abordar ESG como um tema estratégico:

 

  • Os departamentos de RH devem posicionar-se como o motor de uma mudança sustentável nas organizações, nomeadamente da componente social de ESG. A sustentabilidade social deve ser pensada de forma holística para além dos próprios colaboradores da empresa e ser alinhada no quotidiano da empresa. A perceção enquanto empregador responsável reflete-se no tratamento cuidados não só do seu pessoal, mas também na cadeia de valor global.
 
  • É fundamental assumir a responsabilidade empresarial pelo bem-estar físico e psicológico dos colaboradores, e valorizá-los na sua diversidade. O respeito pelos direitos humanos universais, a necessidade básica de um emprego e a segurança associada ao posto de trabalho devem ser acompanhadas pelo assegurar da saúde física e mental, mas também por uma remuneração adequada à função desempenhada.
 
  • A verdadeira responsabilidade social empresarial no século XXI só pode ser assegurada se a força de trabalho refletir a diversidade da nossa sociedade e se a todos for concedida igualdade de oportunidades na organização. Isto significa segurança, saúde, remuneração justa e desenvolvimento independentemente do género, etnia, orientação sexual ou crenças.
  • A as áreas de pessoas e RH devem tornar-se um defensor da sustentabilidade social na empresa e alinhar a estratégia empresarial em conformidade. A estreita cooperação entre os RH e a gestão da sustentabilidade é essencial para combinar a sustentabilidade social e ecológica. É evidente que a sustentabilidade ambiental não pode ser implementada sem sustentabilidade social, que passa por uma estratégia sustentada em matéria de salários, análises de equidade salarial ou planos de saúde orientados paras as necessidades dos colaboradores.
 
  • A aposta na sustentabilidade social deve ser acompanhada por uma comunicação estruturada, dirigida aos colaboradores, ao mercado de trabalho, aos acionistas e reguladores.

Download

Por favor, preencha o formulário com os seus dados para fazer o download do relatório “Sustainability – Is HR up to the job?”

*Campo Obrigatório